O seu nome foi indicado pelo PAIGC, depois do Presidente da República ter vetado Domingos Simões Pereira para o cargo de Primeiro-Ministro.

Com esta proposta, o partido vencedor deixou o Chefe de Estado sem margem para protelar a crise no país, obrigando-o a aceitar a personalidade proposta, dado que já era Primeiro-Ministro.

O PAIGC optou por retirar o nome de Domingos Simões Pereira Gomes “em nome da paz e da permanente preocupação com a estabilidade política”. Este epílogo pode levar o partido a lançar o seu dirigente máximo na corrida às Eleições Presidenciais, marcados para Novembro.

Aristides Gomes chefiou o executivo, saído dos acordos de Conacri, que tinha como missão preparar e realizar as Eleições Legislativas.

Este licenciado em sociologia e dirigente do PAIGC mantém-se, assim, no cargo que assumiu em Abril do ano passado.

O Presidente guineense usou todos os expedientes para protelar não só a realização das consultas eleitorais, mas também a formação de um executivo. Sob pressão da comunidade internacional, iniciou o processo de consulta dos partidos há dias, três meses após a votação para o Parlamento, que deu a maioria absoluta à coligação formada pelo PAIGC, APU e PND.

Comentar

{{#image}}
{{/image}}
{{text}} {{subtext}}

Notícias Recentes

Há 500 anos começava a primeira viagem de circum-navegação

Há 500 anos o português Fernão de Magalhães e o espanhol Seb...

Portugal    10 agosto 2019

Angola e Cabo Verde acordam fim da dupla tributação

Os governos de Angola e Cabo Verde assinaram, quinta-feira e...

Geral    09 agosto 2019

Umaro Sissoco Embaló é candidato às Presidenciais

O MADEM-G15, Movimento para a Alternância Democrata – G15, r...

Guiné-Bissau    09 agosto 2019

Angola aprova criação de passaporte eletrónico

A Assembleia Nacional de Angola aprovou, por unanimidade, e ...

Angola    09 agosto 2019

PortoCartoon 2019 celebra Direitos Humanos em Campo Maior

O Centro Ciência do Café, na cidade portuguesa de Campo Maio...

Portugal    05 agosto 2019